Domingo rural

Domingo para ser domingo,
tem que dormir um pouco mais.
Tomar um café demorado,
um dia ensolarado

Assistir o globo rural.
Receber o vizinho
para um cafezinho.
Ir à casa dos parentes no final da tarde.

Ir rezar na capela.
Encontrar a família.
Sentar na área da cozinha
olhar a natureza e descascar batatinha.

Almoçar um macarrão
com franguinho caipira.
Um vinho bem gelado.
Maionese de batatinha.

Após o almoço um bom sono.
Torcer pra não chegar visita,
porque a cozinha está limpa,
tudo em perfeita harmonia.

A tarde um futebol
no sítio do vizinho.
Sempre no mesmo horário
porque o sol está mais fresquinho.

O difícil é
voltar pra casa sozinho,
sabendo que o outro dia
é uma segunda-feira,
dia de ir pra roça capinar o dia inteiro.

Alegria e tristeza se misturam.
Saudade do dia bem vivido.
Aparecem na mente os compromissos da semana,
e assim a pessoa se programa.

Tantas coisas a realizar,
mas tudo vai passar.
Um outro domingo vai chegar
e muitas pessoas alegrar.

Fica na memória
a água da cachoeira,
do rio ou da represa,
tudo da na mesma.

Paróquia Senhor Bom Jesus de Nazaré

Foi bom conhecer quem você é,
Paróquia Senhor Bom Jesus de Nazaré.
Formada de gente de muita fé,
que tem como pároco, Padre André.

São várias comunidades,
cada uma delas com sua realidade,
porém todas na cidade.

Os freis chegavam com a imagem da Santa na mão,
com o crucifixo e o cordão no hábito marrom

Foram três semanas de Missão,
cantos, silêncio, convivência e oração.
Tudo para aproximarmo-nos de Cristo
e vivermos em união.

Somos um só corpo um só coração,
uma só alma quando amamos todo irmão.
Que as Santas Missões,
possa ter aquecido todos os corações.

A missão não terminou,
ela apenas começou.
É chegada a hora e é agora,
sem choro porque iremos embora.

Partiremos com o coração apertado,
e com alegria de ter encontrado,
a presença do Ressuscitado.

Amém.
Paz e bem!!!

São Francisco de Assis

A partir do século XIX que se começou a conhecer São Francisco, e a partir de 1980 esse conhecimento chegou até nós. Em São Francisco temos um tesouro a ser descoberto. Primeiramente não é possível entendê-lo sem conhecer o contexto no qual viveu.
(mais…)

O abraço de Jesus

Estava atendendo confissões após a missa numa quinta feira à tarde, quando uma mulher aproximou-se pedindo que fosse fazer uma visita a um parente seu, doente, acamado. Não estava programado para sair e fazer visita, mas senti que era uma necessidade, então fui.
Primeiramente atendi mais algumas confissões. O casal me levou até a casa do Sebastião e seu filho. Seu Sebastião, alguém com muita alegria e paz no coração. Fazia tempo que eu não via tamanha fé. Acamado, vítima de uma doença que lhe levou a uma cirurgia de desmembramento de uma parte do corpo, no caso toda a perna esquerda, inclusive boa parte das nádegas. Cirurgia de muito risco, mas ele está se recuperando.
Mesmo nesta situação, seu Sebastião tinha um sorriso no rosto. Ele estava vivendo a cruz de Cristo, com Cristo. Nele estava a presença de Cristo. Seu Sebastião não deixou as perdas e as dores lhe fecharem o coração. Ele decidiu não deixar de amar, esperar, confiar, e perceber que a vida sempre tem sentido.
Nesta visita também percebi que Victor Frank estava certo, o ser humano realmente é um ser que sempre decide o que ele é. Seu Sebastião decidiu confiar em Deus, aceitar a situação de limite e não revoltar-se contra ela.
Mais incrível ainda é o testemunho de seu filho, um garoto de apenas 13 anos. Ele é quem cuida do pai. Eram apenas os dois na casa. O filho faz os curativos no Pai. Ele também cuida da casa, prepara a comida, estuda e também brinca.
Um menino com coração de homem, com atitudes humanas e humanizadoras. Um menino modelo do que é ser filho, do que é ser gente. Um menino alegre, estudioso, responsável. Muitos adultos não são tão adultos quanto aquele menino, muitos cristãos não são tão cristãos como aquele menino.
Após a visita despedi-me dos dois e dei um abraço no menino. Mas foi ele quem me abraçou, um abraço de coração. Ele não recebeu o abraço, ele deu o abraço. Eu não abracei, fui abraçado. Naquele abraço senti que quem me abraçou foi o próprio Cristo.

Verbos

Parar, silenciar, cultivar.
Calar, deixar, acontecer,
simplesmente ser,
o que se é.

Olhar, sentir, deixar fluir.
Mergulhar, entusiasmar, iluminar.
Transformar, diminuir.
E sempre ir.

Gostar, voltar, esforçar.
Decidir, perseverar.
Treinar, fracassar, superar.
Nunca parar.

Doar, acolher, morrer.
Entregar, abandonar, lutar.
Crescer, amadurecer.
Não deixar de viver.

Ser, florescer, ver.
Andar, caminhar, chegar.
Estar, ficar, agradecer.
Para sempre ser.

Sentimentos

Eles vem e vão,
O que faço com eles,
quando estão no meu coração?

Acolho ou rejeito?
Aceito.
Os valorizo ou os esqueço?
Aproveito.

Eles me mostram quem sou,
neste momento.
Sempre assim,
eu não agüento.

Difíceis e prazerosos,
todos se vão,
mas um dia voltarão.

Não espere,
não sofra por antecipação.
A qualquer momento,
eles surgirão.

Sinta, não resista.
Aprenda, não se prenda.
Pensa.

São livres, você não domina.
Qual deles você vai ter?
Não saber.
Apenas decida o que fazer.

Final do dia

Mesmo quando anoitece,
a gente não esquece,
aquilo que acontece
e o nosso coração mexe.

Todo dia é um presente
dado por Deus pra gente.
Preparado antecipadamente,
mesmo que você não entende.

Tudo que acontece é graça,
dada de graça.
Ele apenas quer ver
o ser humano ser.

Obrigado meu Senhor,
por ter me dado amor.
Que ninguém continue a viver,
sem te conhecer.

São Francisco de Assis

O melhor do humano
em Cristo está.
Que São Francisco
soube encontrar.

O Cristo da cruz
ele quis abraçar.
No Crucificado
se transformar.

O rosto de Cristo
Francisco revela.
Humilde e pobre,
o humano mais nobre.

Encontrou no leproso o Crucificado.
O abraçou ou foi abraçado?
Abraçado por quem?
Pelo leproso ou pelo Crucificado?

São Francisco entendeu,
e por isso tudo aconteceu.
Deixou tudo! Ou nada?

Deixou a ilusão,
falsa sedução,
de ter sido o dono,
do seu coração.

Deixou de dominar
para ser menor.
Ele foi prudente
e se fez obediente.

Encantou muita gente;
continua a encantar.
Principalmente,
pela forma de amar.

Missa

Hoje, enquanto a Missa eu rezava,
Ele me falava:
Aqui estou realmente presente,
não se iluda pensando ser o presidente.

Sem mim tu nada serias,
nem vida terias.
Estou aqui pra dizer:
o mundo precisa me conhecer.

Para que Eu apareça,
preciso que você,
não queira aparecer.

O sacrifício da Missa,
é a memória da vida,
minha vivida,
numa entrega de amor.

De você eu preciso,
e acredito,
que tens se esforçado,
para me tornar mais amado.

Desapegando do ego,
do pecado, do vício, de toda ilusão.
Sempre estarei
no teu coração.

Medo, não tenhas!
Você está bem cuidado.
No aconchego do Pai,
tens um lugar preparado.

Amizades

Pensava que amizade assim fosse uma ilusão,
que a felicidade fosse invenção.
Hoje tenho a certeza,
que a gente deve seguir o coração.

Medo de ser feliz, acho que tive um dia.
Agora vou curtir a vida, dia a dia.
Viver o presente, estar sempre sorridente.
Viver a simplicidade com cumplicidade e amabilidade.

Cultivando as amizades com todas as idades.
Unindo os corações, de todas as nações,
numa só fraternidade

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 4.386 outros seguidores